Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Como as grandes hidrelétricas aumentam o efeito estufa?

A maioria das pessoas conhece e sabe o que é o efeito estufa. Fundamental para a sobrevivência humana, o fenômeno consiste em segurar na Terra um pouco da radiação emitida pelo Sol.

Numa situação equilibrada, o efeito estufa age da seguinte forma: a radiação solar entra em contato com a atmosfera e interage com os chamados gases de efeito estufa que são, por exemplo: metano (CH4), dióxido de carbono (CO2), óxido nitroso e hidrofluorcarbonos (HFCs).

Os gases seguram o calor e apenas parte da radiação solar consegue voltar para o espaço. Dessa forma, é possível manter a temperatura na Terra.

Porém, vivemos uma situação em que os gases de efeito estufa são emitidos de forma com que segurem mais calor do que o necessário e tendo como consequência o aquecimento global, fenômeno que aumenta a temperatura na Terra causando desequilíbrio ambiental.

Conforme o último Relatório do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC), publicado em 2021, essas mudanças climáticas já estão em andamento. Ainda segundo o documento, o mundo atingirá em duas décadas um aumento de 1,5°C na temperatura da Terra.

A única forma de reduzir as consequências desse aumento é cortar a emissão desses gases que causam o efeito estufa. Se o mundo não fizer essa opção, os resultados poderão ser catastróficos.


Usinas hidrelétricas x efeito estufa

Muitas pessoas acreditam que as grandes usinas hidrelétricas contribuem com o meio ambiente. Em parte, pode ser verdade, pois a extração da energia é baseada em uma produção de fonte renovável. Por outro lado, é comprovado que essas grandes  hidrelétricas aumentam o efeito estufa. Vamos explicar o motivo.

De acordo com um estudo desenvolvido no Programa de Pós-graduação em Ecologia da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e publicado na revista britânica Environmental Research Letters, as emissões de metano e gás carbônico – dois dos principais gases causadores do aquecimento global – pelas usinas hidrelétricas podem contribuir, e muito, com o chamado efeito estufa. Podem, inclusive, se igualar às termoelétricas que usam a queima de carvão para geração de energia.

O estudo diz, também, que a situação é mais preocupante na região da Amazônia. Em cem anos, os novos reservatórios- previstos num total de 18- poderão emitir, 310 milhões de dióxido de carbono e 21 milhões de toneladas de metano.

Vale a observação de que o metano pode ser até 32 vezes mais forte para o efeito estufa que o gás carbônico.

 

Como as usinas hidrelétricas liberam metano e gás carbônico?

Para construir uma usina hidrelétrica é retirada uma parte importante da vegetação nativa para inundar o espaço que será utilizado para geração de energia. Dessa forma, ocorre a decomposição dessa área, o que acarreta a emissão de metano e gás carbônico.

Além disso, as águas profundas, que são retiradas nas usinas, têm alta concentração de metano que é liberado para a superfície terrestre no processo de transformação da água em energia.

Por esse motivo, é imprescindível atualmente as buscas por fontes de energia limpa para que ainda tenhamos um futuro habitável no Planeta Terra.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Veja também...

Flora-Economia

Quer economizar até 20% em sua conta de luz?

Venha já para a Flora Energia e deixe de pagar caro! Sem custos, sem obras e de forma 100% digital você economiza e ainda contribui com o meio ambiente.